sexta-feira, 16 de julho de 2010

Além disso...


Às vezes é bom relembrar os velhos tempos...
Da época das descobertas...
De quando a rotina nem parecia rotina...
Onde tudo parecia difícil, mas na verdade era fácil...
Um tempo onde os sonhos ainda borbulhavam...
Época agitada, pressão constante...
Coisas incríveis aconteciam...
O coração palpitava a todo momento...
Era tudo muito rápido...

Foi tudo muito rápido...

O tempo passou depressa naquele momento...
Talvez ele esteja passando depressa agora também...
O que é o presente se não um ínfimo espaço de tempo...
Que divide o passado do futuro...

Será que estamos aproveitando ao máximo nossas vidas?


A rotina é uma corrente que nos priva dos melhores momentos...

4 comentários:

Anônimo disse...

Ah o tempo...

O tempo não pára... ele é implacável...
Mas ele tb é o melhor remédio...

O q sei é q o tempo está passando, e q temos q aproveitar cada dia como se fosse o último...

Se a rotina é uma corrente, então vamos quebrá-la e fazer algo novo... =)

"O presente se não um ínfimo espaço de tempo q divide o passado do futuro..."

Profundo isso... ^^

Vamos viver cada dia com a maior intensidade possível! =)

Abraço!

Isaque Ikee disse...

Putz... gostei do post...
Além disso...

Muito bom!
O tempo é quem dita as regras!

Adriele Regine disse...

A culpa será do tempo ou nossa que não sabemos como encontrar os "momentos" no decorrer da rotina?

As vezes, me pergunto se essa aceleração traiçoeira da vida nos permite viver aquele momento que acreditamos não nos privilegiar pelo falto de não nos trazer grandes emoções... descobri, e não foi da melhor forma, que não!

Tudo acontece tão rápido, nos envolve tão depressa que, quando percebemos estamos aos berros amaldiçoando aquela pessoa até a milésima geração. E quando tudo isso acaba é, justamente dela que sentimos falta, dos momentos, das gargalhadas, das conversas no pátio do colégio...

Engraçado, como o valor é empregado! Engraçado como a vida e, a maldita rotina nos ingessa, nos trava, nos deixa, incrivelmente, desumanos... sim, desumanos!

Nos transformamos, no decorrer do tempo, em máquinas que fazem o trabalho que precisam fazer, falam o que precisam falar, veem o que precisam ver... se perdem em seus próprios afazeres, se perdem em sua própria imagem refletida naquele estranho objeto chamado espelho... seus sonhos são abandonados por falta de tempo!

Nesse ponto percebemos quem eramos e no que nos tranformamos... o tempo, a rotina, os momentos... palavras que tomam conta de todas as palpitações, de todos as emoções, de todos os aconchegos antigos! É nesse ponto em que não mais nos encontramos....

Hoje, eu preciso saber quem eu era e quem eu sou pois, se eu não parar nesse momento sei que não mais me encontrarei entre os convidados eternos da festa, que é a minha vida!

~ * Taiiii * ~ disse...

Acredito que não estamos aproveitando TUDO na vida nesse espaço de tempo... mas espero que todos façam o suficiente para serem felizes..
o que virá além, será só cosequeência! =]

e como Cazuza cantava "O Tempo não pára"

post legal! =]

bjos